Casa Civil

Projeto Memória - Júlio César Pires

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Através da publicação dos depoimentos dos funcionários mais antigos queremos destacar o papel de cada um na história da Celepar e da informática pública paranaense.
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Júlio César Pires
“ Na Celepar, tive a oportunidade de contribuir para a disseminação e democratização da informática. ”










A escolha da frase acima como título deste depoimento, ocorreu de modo quase espontâneo, talvez influenciado pela própria natureza de seu autor, Júlio César Pires, que durante a entrevista, falou de sua trajetória na Celepar, empresa onde atua já há 36 anos, de forma segura, porém despretensiosa.

Efetivado em 16 de junho de 1973, Júlio, que iniciou seus trabalhos como auxiliar de operação de equipamentos periféricos, cujas funções eram: “montagem de fitas magnéticas, troca de formulários contínuos em impressoras de impacto, alimentação da leitora de cartões perfurados, e outras atividades de apoio”, lembra um aspecto interessante de um passado recente da empresa, quando a sigla “Celepar” tinha outro significado: “creio que, à época, o Celepar (Centro Eletrônico de Processamento de Dados do Paraná), possuía entre 150 e 200 empregados”.

Relatando ainda seu início, Júlio não dispensa uma fina dose de bom-humor: “Quando comecei a trabalhar na empresa, estava acontecendo a migração do Mainframe Bull para um IBM System/360 modelo 25, top de linha, para o Brasil, com impressionantes 20 kbytes de memória, capacidade de multiprocessamento e discos magnéticos removíveis, com estonteantes 30 mbytes de capacidade de armazenamento.”

Profissional versátil, procurou ir além das suas habituais funções, atuando também como preparador de serviços. Sobre esse período recorda: “Durante um tempo, exerci a função de preparador de serviços, tarefa que consistia na ordenação e montagem dos conjuntos de cartões perfurados, que constituíam nos programas/serviços que seriam submetidos e processados pelo Mainframe, para gerar folhas de pagamento, arrecadação de impostos, emissão de contas d´água, entre outros.”

Tanto empenho gerou reconhecimento, e, ainda no mesmo setor, iniciou uma escalada de sucesso, alcançando cargos como “operador de console”, e posteriormente, de “supervisor de operações.” O passo seguinte foi a atuação no setor de “suporte técnico”, para onde foi em 1978, acontecimento que Júlio considera marcante em sua carreira: “A minha transferência em 1978 para a área de suporte técnico […] propiciou-me novas e excelentes perspectivas para minha carreira na empresa e, posteriormente, em 1983 me foi confiada a gestão da área de redes e, assim, tive a oportunidade de contribuir para a disseminação e democratização da informática.”

É sempre com esse espírito otimista e inovador que Júlio, quando questionado sobre alguma passagem importante na empresa durante a sua atuação profissional, destaca a evolução da tecnologia, que é a principal motriz das atividades da Celepar: “O advento da microinformática, do processamento distribuído, das redes de alta velocidade, da internet e da incrível evolução tecnológica que levou a informática ao cidadão, fato impensável, a não ser nos livros de ficção científica, no início dos anos 70”, brinca.

Toda essa evolução é o exato contraponto da Celepar dos primeiros anos profissionais de Júlio, e sobre isso ele traça um interessante comparativo: “Em 1973, computação voltada apenas à aplicações corporativas, processamento centralizado, pequena capacidade de armazenamento, acesso às informações apenas por relatórios impressos, interação homem x máquina muito complexa, equipamentos enormes, caros e lentos, inexistência de redes (pelo menos aqui no Brasil) e dependência de especialistas para manipular os computadores. Hoje, é tudo instantâneo consegue-se, quase, tudo sem sair de casa, o mundo tornou-se acessível a todos, através da rede mundial os cidadãos tem acesso à informação e disponibilidade de grande quantidade de serviços. Com toda essa dinâmica fica a sensação de que o tempo passa mais rápido e que não há mais limites para coisa alguma”.

Consciente do papel da Celepar nessa evolução tecnológica e social, (e de sua participação nesse processo), Júlio reflete com clareza sobre a importância dos serviços prestados pela Celepar para o estado, em uma frase que demonstra satisfação por ter colaborado tão ativamente: “A hoje Cia. de Informática do Paraná, empresa pioneira, ao longo de seus 44 anos de história, exerceu papel fundamental para o desenvolvimento sócio/econômico do Estado do Paraná, propiciando meios para uma Administração Pública moderna, eficiente e voltada ao cidadão. Na minha percepção é impossível imaginar um estado organizado sem a Celepar.”
Recomendar esta página via e-mail:

Central de Atendimento

  • Enviar mensagem
  • Chat on-line
  • Regionais
  • WhatsApp
  • Solicitação de Serviços
  • LOJA DA CELEPAR
  • Banner trânparência PTE
  • banner transparência