Casa Civil

Celepar

03/10/2017

Governo lança novo sistema de controle do sangue

O Governo do Paraná lançou nesta segunda-feira (02) o Novosht, a nova versão do sistema de controle hemoterápico que tem como objetivo principal o monitoramento das doações e transfusões de sangue feitas nos serviços de saúde do Estado.

O sistema foi desenvolvido pela Companhia de Tecnologia da Informação e Comunicação do Paraná em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde, com tecnologia de ponta e recursos de internet. O lançamento ocorreu no Palácio das Araucárias.

“Desde 2011 a nossa gestão vem valorizando ao extremo toda a hemorrede e o sistema Hemepar. Através desta plataforma, pioneira no país, geramos mais segurança tanto àqueles que se apresentam como doadores como aos serviços”, destacou o secretário de estado da Saúde, Michele Caputo Neto.

A primeira versão do SHT surgiu em 1989 para revolucionar o processo de controle feito pelos hospitais e bancos de sangue na época, que emitiam boletins diários e mensais feitos à mão. Com esta nova versão, os profissionais que atuam na área poderão fazer o controle e acompanhamento das doações e transfusões realizadas pelos serviços de hemoterapia e serviços de saúde do estado do Paraná, de forma mais aprimorada.

O coordenador da Vigilância Sanitária Estadual, Paulo Costa Santana, destaca que o sistema também vai ajudar na fiscalização que garante a segurança do sangue e hemocomponentes ofertados nas transfusões sanguíneas, evitando riscos ao paciente.

“Ele evita a utilização do sangue de forma clandestina, garante a qualidade de todo o ciclo do sangue e disponibiliza dados para que possamos fazer análise estatística, o que facilita a detecção de casos de doenças transmitidas por sangue”, afirmou Santana.

Celepar

O sistema é inovador no país e traz uma série de novas características que facilitam a vida dos usuários, tais como um link direto com o site da Anvisa para notificações de reação transfusional; acréscimo da informação nome da mãe e documentos, reduzindo o número de homônimos; e uma ferramenta para consulta de doadores impedidos em coletas externas, onde não há conexão com a internet ou em casos de contingência quando há falhas.

O presidente em exercício da Celepar, Lucio Alberto Hansel, diretor administrativo-financeiro, destacou que a plataforma foi construída pensando em ser fácil e de livre a cesso, a fim de ajudar as ações da saúde para aumentar a segurança e o controle de toda a rede hemoterápica do Estado.

“As inovações tecnológicas no Novosht são enormes. Agora, é possível acompanhar todo o itinerário do sangue. Além disso, o sistema permite diferenciar doadores usuários daqueles que possuem certa assiduidade, oferecendo vantagens aos que praticam com frequência a doação”, salientou Hansel.

De acordo com o secretário Michele Caputo Neto, este é mais um produto importante para o Estado feito em parceria com a Celepar. “Aproveito a ocasião para cumprimentar a equipe da companhia que vem atuando diretamente com a nossa secretaria no desenvolvimento de novas soluções”, disse ele.

Na condição de presidente do Conselho Nacional de Secretários da Saúde (Conass), Caputo Neto ratificou a importância do suporte de uma companhia de tecnologia da informação e comunicação às ações das secretarias. “Vejo como faz falta para outros estados terem uma Celepar parceira, como temos aqui”, destacou ele.

Homenagem

O evento de lançamento da plataforma contou ainda com uma homenagem a um doador e um receptor, personagens reais da Rede de Sangue do Paraná.

Foram homenageados o bombeiro de 42 anos, Victal Fernando de Moraes, doador, e o estudante Heitor Santos Sampaio Peres, de apenas 10 anos, que necessita de transfusões sucessivas. Victor doa sangue há mais de 20 anos, mesmo sem saber para quem. Hoje ele conheceu um dos beneficiários.

“Doar sangue é um dever de qualquer ser humano. Com este ato humanitário podemos ajudar mais até do que imaginamos. A sociedade de hoje não têm mais espaço para sermos individualistas, precisamos pensar e agir pelo próximo”, afirmou Moraes.

Simone Sampaio, mãe de Heitor e enfermeira que trabalha no Hemepar, emocionou-se ao encontrar o doador que tem ajudado na saúde se seu filho e disse não ser possível mensurar a gratidão que sente. “Este ano meu filho completou 10 anos. E isso só foi possível graças a este gesto de amor. O sangue de cada doador é a realização dos pedidos de mães como eu. Quanto mais gente doando, mais e mais vidas podem ser salvas”, disse Simone.

Carteirinha

Outra novidade do sistema é a certificação de doador. As pessoas que completarem três doações consecutivas podem imprimir o documento pela internet.

O formato do documento também mudou. O que até então era do tamanho de uma folha A4, passa a ser no formato de um documento de identidade, com identificação pessoal.

“Este novo formato dará ao doador muito mais controle e condições de continuar doando com segurança. Para o serviço é uma importante ferramenta de controle, pois muitas as vezes as pessoas querem ajudar mas tentam doar antes do prazo mínimo necessário”, salientou Caputo Neto.

Hemepar

Dados preliminares mais recentes do Centro de Hematologia e Hemoterapia do Paraná mostram que, este ano, o Paraná registrou cerca de 400 mil tentativas de doações, as quais resultaram em aproximadamente 200 mil coletas.

Para o diretor do Hemepar, Paulo Hatschbach, a nova edição do sistema “aperfeiçoou o que já era bom”. Ele destacou que o Paraná, atualmente, possui sete bancos de sangue: dois públicos, sete privados vinculados ao SUS e um completamente privado, e que todos precisam conversar entre si.

“O Novosht é um sistema que vai interligar todos os bancos de sangue do Estado. Com ele poderemos, por exemplo, evitar que um doador inapto em um banco possa se cadastrar em outro. É um cuidado com doadores e todos os receptores que garante a qualidade do sangue a toda a população paranaense”, enfatizou Hatschbach.

NovoSHT

O sistema NovoSHT possibilita o acompanhamento e controle das doações e transfusões realizadas pelos Serviços de Hemoterapia e Serviços de Saúde do Estado do Paraná, com o objetivo de manter a vigilância da qualidade de sangue e de hemocomponentes, contribuindo com a definição da política de sangue do Estado. Foi desenvolvido para substituir os sistemas SHTWEB, SHT Mainfraime e SHT Etiquetas.

Foi desenvolvido em Java com Postgresql, plataforma web, disponibilizando vários web services para que todos os serviços de hemoterapia e de saúde comuniquem os dados dos sistemas próprios com o NovoSHT de forma rápida e fácil.

Vantagens do novo sistema:

· Validação dos dados de identificação dos doadores do Paraná com o Sistema de Identificação Civil - SIV (Secretaria de Segurança Pública- PR);

· Possibilitar ao doador a impressão de seu próprio certificado via internet;

· Disponibilização em formato menor do certificado do doador facilitando sua guarda e manuseio;

· Disponibilização de um novo aplicativo denominado DOADOR IMPEDIDO que facilitará a consulta de doadores impedidos em coletas externas onde não há conexão com a internet ou em casos de contingência quando há falhas.

· Bloqueio de doadores que se apresentam para doação em mais de um serviço (tentativas de doação);

· Informação de todos os hemocomponentes produzidos com seus respectivos destinos (ambiente de produção);

· Todos os Serviços Transfusionais cadastrados no NOVOSHT terão acesso ao histórico transfusional do receptor relativo aos hemocomponentes recebidos pelo paciente independente do local de onde a transfusão foi realizada (desde que esta tenha ocorrido no Estado do Paraná), bem como reações transfusionais e resultados de exames complementares (Pesquisa de Anticorpo Irregular) minimizando o risco em transfusões futuras;

· Agilizar o acesso às informações, possibilitando tomada de decisão mais rápida, melhorando o planejamento de ações voltadas a melhorias da hemoterapia no Estado do Paraná, minimizando riscos gerados na prática hemoterápica;

· Aumentar a segurança de identificação de doadores e receptores, devido ao acréscimo da informação nome da mãe e documentos, reduzindo o numero de homônimos;

· Melhorar o processo de rastreabilidade de doações e transfusões, possibilitando identificar a origem de todas as bolsas recebidas por um paciente, bem como todas as transfusões efetuadas com determinada bolsa de sangue;

· Facilitar a acessibilidade de informações a todos os serviços envolvidos e vigilâncias sanitárias (relatórios);

· Disponibilização de um link direto com o site da ANVISA para notificações de reação transfusional (NOTIVISA);


Participaram do projeto na Celepar

Márcia Cristina Nascimento - analista de sistemas responsável COSIN-A4

Leonardo Ramos da Silva - analista de sistemas COSIN-A4

Marcelo Henrique Dias Abreu - coordenador técnico da equipe COSIN-A4

Valter Schastai - coordenador de atendimento

Tânia Mara Vostoupal - gerente do projeto COSIN-B2

Equipe Mobile:

Camila Regina Furlan - coordenadora técnica da equipe COSIN-B1

Marcelo Heck - analista de sistemas COSIN-B1

Amanda Campos Costa - analista de sistemas COSIN-B1

Paulo César Santana - analista de sistemas COSIN-B1

Claudette Moras - GSI-B

Maria Cristina Rocha Pombo Lessi - COSIN-A5
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.

  • Facebook

Central de Atendimento

  • Enviar mensagem
  • Chat on-line
  • Regionais
  • WhatsApp
  • Solicitação de Serviços
  • LOJA DA CELEPAR
  • Banner trânparência PTE
  • banner transparência