Casa Civil

Celepar - Municípios

28/03/2018

BI da Celepar sobre Cadastro Único será liberado aos 399 municípios paranaenses

Todas as prefeituras paranaenses terão um novo instrumento para cuidar melhor das famílias em vulnerabilidade social. Na comemoração dos seis anos do programa Família Paranaense – aberta pelo governador Beto Richa e pela secretária da Família e Desenvolvimento Social, Fernanda Richa, na tarde de terça-feira (27) – foi anunciada a liberação de informações mapeadas para subsidiar a formulação de políticas públicas para aqueles que mais precisam, por meio do case de Business Intelligence (BI) sobre o Cadastro único, desenvolvido pela Celepar.

Nestes seis anos, 331 mil famílias foram atendidas em alguma modalidade do programa Família Paranaense, que reduziu em 57,4% a extrema pobreza no Estado.

Richa afirmou que o Paraná foi o estado das regiões Sul e Sudeste que mais reduziu a pobreza e atribuiu os resultados também à boa parceria com as administrações municipais. “Outro diferencial deste programa é ter porta de entrada e de saída, pois visa à emancipação das famílias”, afirmou o governador.

Ele acrescentou que o público atendido tem a sua contrapartida social, com filhos na escola, prontuário nas unidades de saúde e vacinações em dia. “Já o chefe de família tem obrigação de participar do programa de qualificação profissional para que, ao término de dois anos de atendimento, esteja pronto para ingressar no mercado de trabalho”, completou o governador.

Richa também destacou as ações e os investimentos do Governo do Estado nas áreas de educação, saneamento, habitação, saúde e infraestrutura. “Se vocês viram obras no Paraná, podem esperar por mais. Vamos investir R$ 8,4 bilhões neste ano, volume 8% maior que o do ano passado. É o maior investimento da história do Estado”, disse ele.

Celepar

A liberação do banco de dados e dos estudos decorrentes, pelo sistema Business Intelligence (BI) – um banco de dados que cruza informações de múltiplas bases de dados governamentais – foi possível com a assinatura do acordo entre a Secretaria da Família e Desenvolvimento Social e a Celepar. “O estudo do levantamento de todas as famílias permitirá melhorar o que está sendo ofertado. Em dois anos de trabalho, as famílias acompanhadas saem preparadas e inseridas no mercado de trabalho”, explicou Fernanda Richa.

O presidente da Celepar, Jacson Carvalho Leite, detalhou que, com o estudo, o prefeito conhecerá mais a sua população. “Ele saberá se há banheiro nas residências, quantas pessoas convivem na casa, quantas famílias há no entorno. É possível determinar a vulnerabilidade das pessoas e implementar políticas públicas com o propósito de reduzir as vulnerabilidades sociais”, comentou.

Leite lembrou que a Celepar, por orientação do governador Beto Richa, está disponibilizando as mesmas soluções de inteligência utilizadas pelo Governo do Estado às prefeituras paranaenses. “Quando mais ágil e moderna for a gestão pública, mais eficazes serão os serviços ofertados pelos municípios aos cidadãos”, destacou.

Neste contexto, de acordo com o presidente, o Paraná vai se tornar o primeiro Estado no qual todos os municípios serão atendidos por um case de Business Intelligence. Atualmente, a Celepar possui mais de 660 BI’s que abrangem todas as políticas públicas estaduais.

Para prover o acompanhamento e mapeamento das famílias inscritas no Cadastro Único, o case abrange diversas informações, tais como: localização das famílias, trabalho infantil, comunidades tradicionais do Paraná, renda per capita, existência de água encanada e luz elétrica no domicílio, escolaridade, documentação, entre outras. São contemplados, também, alguns programas federais e estaduais, como Bolsa Família, Pronatec, Família Paranaense e Luz Fraterna.

Programa

O total de investimentos do programa Família Paranaense, desde 2012, chegou à casa de R$ 230 milhões, destinados à transferência de renda, projetos intersetoriais e ações desenvolvidas pelos municípios. Atualmente, há 48 mil famílias com acompanhamento individualizado. Somente em programas de transferência de renda, foram R$ 141,5 milhões para 309,1 mil famílias dos 399 municípios.

Das famílias participantes do programa, 34,7% saíram de moradias improvisadas para casas melhor estruturadas; houve aumento de 26,8% no número de famílias com banheiro no domicílio e crescimento de 22% no número de crianças e adolescentes na escola, das famílias acompanhadas pelo programa. Também houve redução de 34,7% dos casos de trabalho infantil na família.

Pelo Renda Agricultor Familiar, uma das modalidades do programa, as famílias beneficiadas recebem até R$ 3 mil em parcela única, para melhorar a produtividade e a qualidade da água e do saneamento de pequenas propriedades. Foram repassados R$ 2 milhões para 1.470 famílias de 104 municípios.

Eixos


O Família Paranaense desenvolve trabalho intersetorial, com participação de 19 secretarias de Estado e empresas públicas. Os principais eixos de atuação são assistência social, educação, saúde, habitação, agricultura e trabalho. “A vulnerabilidade social das famílias é diminuída com acesso às redes de serviços. Com a integração entre órgãos públicos potencializamos a autonomia nas famílias”, afirmou Fernanda Richa.

O programa atua de acordo com alguns critérios e etapas. O Índice de Vulnerabilidade das Famílias (IVF-PR), que inclui informações do Cadastro Único; o Sistema de Acompanhamento das Famílias identifica famílias prioritárias; e o Plano de Ação Intersetorial, individualizado para cada família.

A coordenadora do Família Paranaense, Letícia Reis, afirmou que houve redução de 71,39% na vulnerabilidade das famílias acompanhadas. “Temos vários projetos acontecendo e investimento em várias áreas. Chegamos a famílias pobres do campo e inserimos as mais vulneráveis na rede de serviço público”, disse Letícia.

Histórias de sucesso

Rosane de Paula Fontoura, de Prudentópolis, conheceu o programa no Centro de Referência de Assistência Social (Cras) do município. “A gente está no projeto das casas, que está em andamento. Foi assim que eu conheci o programa. A minha filha fez cursos de secretariado, recepcionista, atendente de telefone, tudo por meio do programa Família Paranaense”, disse Rosane, que mora com o marido e três filhos. Agora, a filha de 15 anos está estudando em Guarapuava, cursando técnico em Agropecuária e o marido vai começar a trabalhar em uma olaria.

Rosi das Neves montou uma loja de roupas em Palmeira com apoio do Família Paranaense. “É um trabalho que tem valor. A pessoa sempre é assistida por alguém. Eu me sinto valorizada. Se eu não tivesse sendo acompanhada pelo programa eu acho que eu já tinha desistido”.

Para Ivonete Iakoski, de São João do Triunfo, o programa Família Paranaense mudou bastante a sua vida. “Consegui terminar meu banheiro. Consegui comprar galinhas. Isso faz muita diferença na minha vida. As assistentes sociais me acompanham”, comemorou.

Metodologia

De acordo com a diretora-geral da Política de Assistência Social na Lapa, Ana Karina Azambuja, o município optou por participar do programa pelo sucesso em outros municípios. “A gente vê que a metodologia complementa todo o trabalho do Sistema Único de Assistência Social (Suas). O programa compila os serviços e benefícios assistenciais. Conseguiu organizar, formatar e criar seu instrumento. Facilita bastante o trabalho das equipes”, afirmou Ana Karina.

Presenças

Participaram da solenidade os secretários de Estado da Educação, Ana Seres; da Cultura, João Luiz Fiani; do Planejamento e Coordenação Geral, Juraci Barbosa Sobrinho; o diretor-presidente da Cohapar, Abelardo Lupion; o presidente da Emater, Ernesto Niederheitmann; o diretor-geral da Secretaria de Estado da Saúde, Sezifredo Paulo Alves Paz, além de prefeitos.

Vídeo:

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.

  • Facebook
  • Instagram

Central de Atendimento

  • Enviar mensagem
  • Chat on-line
  • Regionais
  • WhatsApp
  • Solicitação de Serviços
  • LOJA DA CELEPAR
  • Banner trânparência PTE
  • banner transparência