Doação de órgãos

O que é

No Paraná, o Sistema Estadual de Transplantes é responsável pelo processo de doação e transplante de órgãos. O Estado atualmente é o primeiro lugar em doação de órgãos para transplantes no Brasil, segundo dados da Associação Brasileira de Transplante de Órgãos (ABTO).

Qualquer pessoa pode ser doador, desde que haja compatibilidade entre o doador e receptor. Rins, parte do fígado e da medula óssea podem ser doados em vida. Mas, em geral, a doação ocorre em situações de morte encefálica, sempre após a autorização familiar.

Entre os órgãos que podem ser doados estão coração, rins, pâncreas, pulmões, fígado e intestinos. Tecidos que podem ser doados incluem córneas, pele, ossos, válvulas cardíacas e tendões.

Quando ocorre a morte, os profissionais médicos especializados fazem a revisão do histórico de saúde do paciente e avaliam se ele pode ser um doador e quais órgãos e tecidos podem ser transplantados.

Como doar

As doações de órgãos e tecidos no Brasil dependem do consentimento da família. Quem pretende ser doador de órgãos precisa conversar com seus familiares e expressar claramente seu desejo. Não é preciso elaborar documento ou registro da vontade do doador e, mesmo se houver, a família sempre será consultada e deve dar consentimento para o procedimento de doação.

Prazo

Havendo autorização da família, o procedimento é realizado o mais rápido possível para garantir a viabilidade dos órgãos vitais.

O Sistema Estadual de Transplantes possui uma infraestrutura logística que inclui transporte aéreo e terrestre, atende todas as regiões do Estado e dá rapidez e agilidade ao transporte de órgãos para transplantes e de equipes de profissionais responsáveis pelo trabalho.

O que diz a lei

Lei Estadual 18.803/2016 Institui o mês Setembro Vermelho, dedicado a ações de esclarecimento e incentivo à doação de órgãos e tecidos no Estado do Paraná.

Forma de atendimento:

Integralmente Presencial

Quanto custa:

Gratuito