Um pouco da história de 54 anos da Celepar
27/11/2018 - 12:00

Pioneira entre as empresas de informática pública, a Celepar é uma sociedade de economia mista de capital fechado, cujo maior acionista é o Estado do Paraná. Criada no governo Ney Braga pela Lei Estadual 4945, de 30 de outubro de 1964, constituída por escritura pública lavrada em 05 de novembro de 1964, foi registrada no dia 24 de novembro de 1964 na Junta Comercial do Paraná.

A sigla Celepar provém do nome de batismo da empresa: Centro Eletrônico do Paraná. A razão social sofreu alterações no decorrer dos anos, passando para Companhia de Processamento de Dados do Paraná, Companhia de Informática do Paraná e para a denominação atual de Companhia de Tecnologia da Informação e Comunicação do Paraná, sempre mantendo a sigla original de Celepar.

Com sede em Curitiba e, por meio dos seus 10 núcleos regionais, a companhia que é vinculada à Casa Civil atende a estrutura da administração estadual nos 399 municípios paranaenses. O objetivo é desenvolver soluções de modernização da gestão pública voltadas à melhoria contínua dos serviços que o governo presta aos cidadãos paranaenses.

A Celepar atende 150 clientes, sendo 90 órgãos do Governo do Estado, entre secretarias e suas vinculadas, além de 60 prefeituras. Novos serviços estão sendo incorporados, como a emissão de certificados digitais que a companhia, num primeiro momento, disponibiliza a administração pública estadual.

Para atender esta demanda, a companhia trabalha no regime 7 x 24, sete dias na semana, 24 horas por dia. O quadro atual de empregados é composto por 1.191 pessoas, das quais 70 estão nas regionais do interior do Estado.

A título de curiosidade, a Celepar, quando da fundação, contava com 15 empregados em seu primeiro endereço, na esquina da Avenida Visconde de Guarapuava com a Rua Barão de Rio Branco, em Curitiba. Em 1965 foi construído o prédio histórico, no atual endereço, Rua Mateus Leme, 1561. Inclusive o imóvel está em processo de avaliação de tombamento pelo IPPUC e Fundação Cultural de Curitiba.

Evolução

A fundação da companhia está diretamente ligada ao início do ciclo de automação dos processos da administração pública. Os primeiros serviços processados pelo computador Bull Gama 30, com 30 k de memória, foram a folha de pagamento dos funcionários públicos e a contabilidade do Estado. Gradativamente novos processos foram automatizados.

Em meados dos anos 70, teve início o ciclo dos sistemas on-line. Grande parte dos processos passou a ser executado diretamente pelos funcionários públicos, por meio de terminais de computador ligados aos computadores centrais da Celepar.

Os anos 80 são marcados pelos microcomputadores, onde novas facilidades foram oferecidas aos usuários que podiam se interligar aos computadores centrais da Celepar, ou realizar tarefas isoladas. Os destaques daquela época foram as planilhas eletrônicas e os processadores de texto.

Nos anos 90 ocorre a grande revolução da internet. O Governo passou a prestar serviços e se comunicar com a população através de portais de serviços, e os órgãos públicos adotam o correio eletrônico como ferramenta para a comunicação entre si e internamente.

Os dispositivos móveis trouxeram a popularização do acesso à internet, fazendo com que o número de usuários que acessam serviços pela internet se multiplicasse até a casa dos milhões. Esse fenômeno transformou a forma de prestação de serviço na maioria dos órgãos públicos.

Com a profunda modificação da forma de comunicação entre as pessoas propiciada pela internet e por tecnologias como redes sociais, inteligência artificial, soluções analíticas, entre outras, o Governo está se redesenhando para entrar na era das transações digitais.

Esse novo estágio abriga uma redefinição da forma de prestação de serviços e de comunicação com os cidadãos, com base no uso de todo esse novo arcabouço tecnológico. Isso vai significar maior agilidade, transparência, eficácia e, em resumo, qualidade dos serviços públicos.

Esse é o desfio presente da Celepar.

Confira as fotos